As indústrias da região Sul Fluminense registraram queda da atividade produtiva em março. É o que mostra a Sondagem Industrial do Rio de Janeiro, divulgada nessa sexta-feira (17/05) pelo Sistema FIRJAN. Diferente do resultado positivo observado em fevereiro – 50,8 -, a produção recuou para 46,7 pontos.

A sondagem é um levantamento de opinião empresarial com indicadores que variam de zero a cem pontos. Os valores abaixo de 50 indicam pessimismo ou redução e acima de 50 pontos representam otimismo ou aumento.

Ainda que apresente uma pontuação maior em relação ao primeiro trimestre de 2018, a avaliação dos empresários do Sul fluminense sobre a situação financeira das indústrias segue ruim (38,7). O indicador pode ser atribuído à dificuldade de acesso ao crédito (39,1) e também à margem de lucro insatisfatória (37,5 pontos).

“Os empresários continuam enxergando que ainda estamos de forma temporária dentro da crise. Para mudar esse cenário, precisamos que mudanças muito expressivas na economia aconteçam e, sem dúvidas, a aprovação da reforma da Previdência é uma delas”, afirma o presidente da Firjan Sul Fluminense, Antônio Carlos Villela.

Ele destaca, porém, que a reforma não é o todo, mas sim o começo de uma reação. “A aprovação vai consolidar a base do crescimento e conquistar um período de otimismo com potencial de desenvolvimento econômico para o Estado”, conclui.

A pesquisa ainda aponta que diante da incerteza quanto ao ritmo da retomada da atividade econômica, os industriais devem ser cautelosos com as contratações (50,8). O aumento para os próximos meses está relacionado somente à demanda por produtos industriais e compra de matérias primas, ambas com 53,2 pontos.

A Sondagem Industrial é um levantamento de opinião empresarial, que tem como objetivo identificar as situações passadas e expectativas futuras indústria. O documento completo está disponível no endereço https://bit.ly/2VKys7H.

Compartilhar: