O município de Piraí está na expectativa para saber se os projetos esportivos nos bairros continuarão a ser desenvolvidos pela prefeitura em 2019. Não existe nenhuma informação oficial que acabaram, mas nas redes sociais e nas pracinhas da cidade os moradores o assunto é esse. Alguns seguidores do ex-prefeito Tutuca e do atual prefeito Luiz Antônio se “degladiam” para saber quem mais fez pelo esporte da cidade.

Desde que cheguei a Piraí, em 2001, o esporte da cidade girava em torno da ginástica de trampolim em que pegava 70% dos investimentos no esporte. Os outros esportes ficavam a ver navios sem tantos investimentos. O futebol havia um campeonato da cidade realizado pela Liga de Desportos de Piraí e algumas escolinhas sociais eram realizadas nos bairros como acontece atualmente. Depois a ginástica de trampolim teve que dividir com o ballet os investimentos, o que também não sobrava muito dinheiro para os outros esportes.

Em 2015 o governo do estado realizou um edital público em que distribuiria R$ 100.000,00 (cem mil reais) para cada projeto esportivo que fosse aprovado visando os jogos olímpicos Rio 2016. Eu enviei o link para uma pessoa da cidade realizar a inscrição. Segundo esta pessoa, ela levou a informação aos seus superiores, mas não viu interesse nenhum deles em realizar a inscrição nos projetos. E olha que o governador do Rio de Janeiro era Luiz Fernando de Souza (Pezão), nascido e criado no município de Piraí e não aproveitamos em nada os 12 anos do Pezão na equipe do governo do estado do Rio de Janeiro.

Vejo as reclamações nas redes sociais, mas é preciso muito mais do que isso. É preciso a população se reunir com argumentos fortes para uma conversa com o prefeito e o secretário de esportes. É preciso que a população participe de audiências públicas quando realizadas pela prefeitura, sugira as ações no orçamento participativo, quem trabalha com esporte não fique dependendo somente do poder público e que as empresas locais ajudem com patrocínio. Também é necessário a prefeitura buscar parcerias, principalmente em Brasília com o governo federal que destina verbas públicas para a realização de esportes sociais. Sabemos que a situação do país está difícil para isso. Mas podemos tentar! Até a próxima.

Fernando Marlos é professor de Educação Física na escola Luiz Marinho Vidal, na Jaqueira, em Piraí. Ele é coordenador do  projeto Superando Limites: somos todos iguais.

 

O outro lado:

A Secretaria Municipal de Esporte e Cultura de Piraí esclarece que, diferente do que tentou induzir o professor Fernando Marlos em sua coluna publicada na Folha Vale do Café no dia 15 de março de 2019, os projetos esportivos desenvolvidos no município de Piraí não acabaram, e sim seguem progredindo.

Em nota oficial nos seus canais de informação em 31 de janeiro de 2019, a Prefeitura Municipal de Piraí publicou que, após o recesso do fim de ano, as atividades em todos os bairros seriam retomadas em março deste ano. Isso se deu devido ao processo licitatório para a convocação de professores, que terminou na última semana. Os novos contratados estão sendo inseridos na nova grade de horários e todas as modalidades serão prontamente iniciadas assim que o quadro for fechado.

A Secretaria informa ainda que atende cerca de 2500 alunos nas modalidades de Iniciação Esportiva, Ballet, Futebol, Futsal, Judô, Karatê, Capoeira, Ginástica de Trampolim, além de Yoga, Biodanza, Dança de Salão e Ginástica Funcional. E que conseguiu ampliar ainda mais o alcance de suas atividades com o propósito de democratização da prática esportiva, atendendo hoje em mais de 10 polos distribuídos pela cidade e distritos, atingindo bairros que antes não contavam com estes projetos.

Não entendemos o tom do professor, parte da rede e também incentivador do esporte através de seu projeto que contou com apoio total desta Secretaria em suas etapas iniciais, pois desenvolvemos nosso trabalho com muita seriedade e responsabilidade, reconhecendo nosso papel na promoção do Esporte, parte essencial para a formação de uma sociedade mais justa e igualitária.

Compartilhar: